Audiência Pública dia 25 de abril vai debater o fortalecimento das empresas Cidasc, Epagri e Ceasa/SC. À tarde, trabalhadores deliberam sobre GREVE

Nesta terça-feira, dia 25 de abril, às nove horas da manhã, será realizada audiência pública na Assembleia Legislativa de SC para debater o fortalecimento das empresas Cidasc e Epagri e Ceasa/SC, empresas ligadas à Secretaria de Agricultura e Pesca (SAR) e responsáveis pela sanidade animal e vegetal, por pesquisa e projetos de extensão rural, assim como serviços de meteorologia e distribuição de alimentos.
 
A atividade acontece  no Plenarinho da Alesc e ​foram convidados representantes da Secretaria Especial de Agricultura e Desenvolvimento Agrário (MDA), da SAR, das três empresas, do Instituto Catarinense de Sanidade Agrícola (Icasa), Federação da Agricultura e Pecuária de SC (Faesc), do Dieese/SC, do Conselho Político Financeiro da Secretaria da Fazenda Estadual, além de entidades de trabalhadores como o MST, a Federação de Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul (Fetraf Sul), da Federação de Trabalhadores na Agricultura de SC (Fetaesc) e de sindicatos dos trabalhadores nas empresas.
 
A audiência acontece num momento em que o mundo está voltado à espetacularização da Operação Carne Fraca que pôs em risco empregos e certificados internacionais de sanidade animal obtidos por SC e meses depois da publicação da Portaria nº 56/2016 da SAR, que prevê a total terceirização na fiscalização sanitária animal e vegetal no estado. O anúncio de redução em 7% das verbas previstas no orçamento deste ano para Cidasc e Epagri, em comparação a 2016, e a tramitação do projeto de lei referente à renegociação das dívidas dos estados com a União (o PL 343/2017) que exige a privatização ou mesmo a extinção de empresas estatais também ampliam a necessidade desse debate.
 
Atualmente, 30 % PIB catarinense é gerado pelo setor, desde as exportações de carne e frango – que nos três primeiros meses do ano já superaram os U$ 596,4 milhões, – as pesquisas e projetos de extensão rural e incentivos à agricultura familiar, responsável por 70% do alimento dos brasileiros.
 
A atividade foi solicitada pelos Sindicatos de trabalhadores nas empresas ao deputado Estadual Dirceu Dresch e é organizada pela Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Alesc. Trabalhadores de todas as regiões do Estado vão participar do evento.
 
 
ASSEMBLEIA VAI DELIBERAR SOBRE GREVE
 
A partir das 13 horas, trabalhadores nas três empresas seguem para a Sede da Associação dos Funcionários da Epagri (APER) no Itacorubi, para Assembleia Geral, que tem na pauta a deliberação por GREVE diante da contraproposta apresentada pelo governo e empresas, que não atende às reivindicações da categoria com​ data-base ​em 1º de maio.

A contraproposta não admite reposição integral do INPC acumulado nos últimos doze meses, exclui a reposição da nas cláusulas econômicas como auxílio alimentação , não renova a garantia de emprego e retira liberação de metade dos dirigentes sindicais atuais.

Neste ano, por conta da resolução normativa nº 03/2017  do Conselho Político Financeiro, órgão da Secretaria da Fazenda do Estado, caso novo ACT não seja firmado até 1º de Maio, a categoria pode perder o direito às cláusulas sociais até então garantidas, como convênio de saúde e auxílio creche. Em 2016, o Acordo foi firmado somente em dezembro e sem a reposição do INPC de forma retroativa à data-base.
Sindaspisc
foto:Central Jt/SC

Deixe o seu comentário