CPI da Previdência ouve cinco maiores devedores do INSS no setor de frigoríficos

Comissão Parlamentar de Inquérito(CPI) da Previdência Social realiza hoje (8) audiência pública com representantes dos cinco maiores devedores da Previdência Social no setor de frigoríficos. Segundo o presidente do colegiado, o senador Paulo Paim (PT-RS), só a JBS possui débito com o INSS de R$ 2,4 bilhões. “Eles tiveram um lucro em torno de R$ 250 bilhões e devem R$ 2,4 bilhões. Isso é uma apropriação indébita do dinheiro do trabalhador”, afirma o parlamentar, em entrevista à Rádio Brasil Atual.

Paim diz que a CPI ouvirá outros setores devedores, como os bancos e a indústria. “A dívida acumulada, por baixo, dá R$ 500 bilhões. Esse é o problema da Previdência, é a gestão, arrecadação e sonegação. Os últimos governos deixavam as empresas renegociarem as dívidas e, mesmo assim, elas não pagavam”, denuncia.

Na sessão desta quinta, foram convidados para a audiência Luiz Gustavo Antonio Silva Bichara, representante da JBS; Heraldo Geres, do Marfrig Global Foods; Geraldo Antonio Prearo, do Frigorífico Margen; e representantes do Frigorífico Nicolini e da Swift Armour.

Segundo dados da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfip), a Previdência, entre 2005 e 2015, deveria ter acumulado superávit de R$ 657 bilhões para sustentá-la. Paim explica que o dinheiro é usado para outros fins. “É uma verba que vai pro Judiciário, para o Legislativo e até para o pagamento da dívida. Seria uma média de R$ 50 bilhões por ano se o governo tivesse guardado esse fundo. A Previdência não teria problema nenhum. O dinheiro do fundo foi usado até pra pagar o salário de servidores.”

No último dia 2, a CPI ouviu representantes das cinco instituições privadas de ensino superior que mais devem à Previdência.

Deixe o seu comentário