8 de março: os sindicatos são imprescindíveis para fomentar direitos das mulheres

8 de março em Florianópolis. Foto: Marcelo Zapelini, para Desacato.info

8 de março em Florianópolis. Foto: Marcelo Zapelini, para Desacato.info

Desacato

“Não é possível pensar a democracia com as mulheres excluídas. Empoderando as mulheres e as meninas, empoderaremos toda a humanidade.”

Pensando que na América Latina, as organizações sindicais ainda tem muito que esperar para celebrar avanços sociais e condições de vida das mulheres, ou seja, ainda temos um longo caminho para ser trilhado em direção à equidade de gênero e um tanto a mais à igualdade.

Tudo poderia ter inicio no dia 8 de março de 1911 quando as funcionárias de uma fábrica da Triangle Shirtwaist Company em Nova York, nos Estados Unidos, entraram em greve reivindicando melhores condições de trabalho. Elas pediam uma jornada de trabalho menor (de 16 para 10 horas diárias), que seus salários fossem iguais aos dos homens e melhor tratamento no ambiente de trabalho.

No entanto desde século 19, organizações femininas oriundas de movimentos operários protestavam em vários países da Europa e nos Estados Unidos. As jornadas de trabalho de aproximadamente 15 horas diárias e os salários medíocres introduzidos pela Revolução Industrial levaram as mulheres a greves para reivindicar melhores condições de trabalho e o fim do trabalho infantil, comum nas fábricas durante o período.

Contudo o primeiro Dia Nacional da Mulher foi celebrado em maio de 1908 nos Estados Unidos, quando cerca de 1500 mulheres aderiram a uma manifestação em prol da igualdade econômica e política no país.

Não podíamos deixar de contar o que poucas pessoas sabem que a grande Revolução Russa de 1917, que completou cem anos, ano passado, começou com uma greve de operárias têxteis de Petrogrado no dia 8 de março (ou dia 23 de fevereiro no antigo calendário russo). E, por causa desse acontecimento, a data acabou se universalizando como Dia Internacional das Mulheres.

Por conta disso, nós mulheres da Organização do 8M/SC 2018, convidamos todos os Sindicatos e sindicalistas à pararem conosco neste dia tão importante para o movimento de trabalhadoras no mundo.

Afirmamos que a paralização no dia 8/3 é ver os sindicatos e movimentos de mulheres engajados nas reivindicações trabalhistas e de cidadania plena os quais são direitos de todas as mulheres e meninas deste município, estado, pais continente e mundo.

PAREM CONOSCO NO 8M!!!!!!!!!!!

Comunicação e Divulgação da Comissão Organizadora 8M.

Deixe o seu comentário