Morre um dos fundadores da organização haitiana PAPDA

Gerald_mathurin

Brasil de Fato

É com enorme tristeza que a PAPDA (Plataforma haitiana de Reivindicação de um Desenvolvimento Alternativo)  saúda a partida do agrônomo Gérald Mathurin que nos deixou sábado, 3 de março, em consequência de uma série de AVCs contra os quais ele lutou corajosamente durante longos meses.

Gérald Mathurin foi um militante da democracia e da mudança social que dedicou sua vida inteira, suas forças, sua criatividade e sua grande inteligência às lutas democráticas e aos combates do campesinato pobre do Haiti.

Gérald demonstrou sua imensa capacidade de liderança e seu talento em numerosos campos: associativo, público, rede de organizações regionais, cooperativas de produção, empresas solidárias, rede associativa internacional, ONGs de promoção do desenvolvimento, plataforma de organizações e de movimentos sociais, associações de profissionais, reagrupamento de federações de organizações camponesas, plataformas de organizações políticas.

Em todas as suas experiências soube conservar sua integridade e defender seus princípios. Em circunstâncias extremas soube gerir com eficácia situações de crise, fazendo-as chegar a bom termo.

Gérald tinha a capacidade de criar federações e de reunir organizações e foi assim que nasceu a PAPDA, resultado de um longo processo de auto-avaliação dos movimentos sociais reivindicatórios em busca de novos caminhos e instrumentos, abrindo caminho a verdadeiras opções frente às políticas neoliberais. Gérald desempenhou um papel de destaque na implantação e na animação do processo que desembocou entre outros no nascimento da PAPDA, em novembro de 1995.

Vamos resumir brevemente algumas de suas contribuições mais importantes :

    • Ele trabalhou no seio da l’ODVA (Organismo de Desenvolvimento do Vale da Artibonite e soube tecer profundas relações de solidariedade com os responsáveis pelas organizações de plantadores de arroz que décadas depois dão testemulho de sua fidelidade às ideias e orientações que defendia.

    • Trabalhou com as organizações e movimentos camponeses da Grande Anse, contribuindo ao mesmo tempo para construir o GRAMIR (Grupo de Pesquisas e de apoio ao meio rural)

    • Trabalhou contra a dispersão das intervenções e dos projetos de desesnvolvimento, buscando reforçar a Inter-OPD (Plataforma de Organizações não governamentais de promoção do Desenvolvimento)

    • Participou ativamente do combate contra o golpe de Estado de setembro de 1991, arriscando sua vida em inúmeras ocasiões ; trabalhou na implantação da CIPH (Coordenação Inter-profissional do Haiti)

    • Foi durante longos anos um dos pilares da ANDAH e está na origem de vários memorandos produzidos por esta organização, recomendando mudanças de orientação nas políticas agrárias de nosso país.

    • Contribuiu, como representante da ANDAH, para a criação da PAPDA, em 1995.

    • Foi o braço operário da reforma agrária iniciada no primeiro governo de René Préval e dirigiu o MARNDR, buscando introduzir rupturas na conceituação de seus programas e na relação entre o Estado e o campesinato.

    • Rompeu com o governo de René Préval em 1997, quando da demissão coletiva do Primeiro Ministro Rosny Smarth e de seus ministros, sendo que era um dos melhores amigos do Presidente da República, para permanecer fiel a seus princípios.

    • Dirigiu a organização CROSE desde 1998, reforçando-a e transformando-a, graças a métodos de intervenção inovadores, tornando-a uma referência fundamental para a dinâmica dos movimentos sociais de reivindicação desse Departamento e do país.

    • Buscou implantar uma plataforma política regional para o Departamento do Sudoeste, incentivando a mesma metodologia em outros departamentos do país.

    • Contribuiu para implantar uma plataforma de federações de organizações camponesas denominada 4 je kontre que desempenha um papel essencial no processo de unificação do movimento camponês em nosso país.

    • Participou de numerosos fóruns internacionais na América Latina e na Europa (especialmente do FSM), expondo ideias e opções originais na busca da construção de alternativas ao sistema mundial atual, proclamando suas convicções anti-imperialistas.

Este balanço está longe de ser exaustivo e pretende mostrar aos jovens o tamanho da herança que ele nos lega, assim como a imperiosa necessidade de conhecê-la.

A PAPDA também faz questão de explicitar sua indignação diante da revoltante injustiça sofrida por Gérald que queria, com o apoio entusiasta da imensa maioria dos eleitores do Departamento do Sudeste, eleger-se Senador da República. Recusaram-se a dar-lhe o certificado de décharge, recusa esta que foi utilizada com fins vergonhosamente políticos, para barrar-lhe o caminho. Um homem que sempre lutou contra as injustiças teve que sofrer uma injustiça inqualificável, que reflete as tramas de um sistema político a serviço dos poderosos e de algumas famílias da oligarquia.

Todos aqueles e aquelas que tiveram a sorte de conviver com o agrônomo Gérald Mathurin vão se lembrar de seu carisma, de sua verve e de sua capacidade de orador capazes de convencer e de entusiasmar, com uma linguagem simples e acessível, públicos numerosos e diferentes. Sua vontade de viver sempre alimentou sua fé no futuro de seu país e sua paixão pelos combates políticos emancipadores.

Com Gérald perdemos uma referência e um esteio, mas recebemos ao mesmo tempo uma imensa e preciosa herança que as novas gerações de amantes do Haiti não deixarão de valorizar e de fazer frutificar.

Gérald, você pode partir em paz. Sua obra nos acompanhará sempre.

Camille Chalmers

Diretor Executivo da PAPDA

Deixe o seu comentário