Sentença contra Lula será estudada como exemplo de má justiça

Para o deputado italiano do Parlamento Europeu Roberto Gualtieri, Lula é um preso político. Ele visitou o ex-presidente e disse que reputação da Justiça brasileira está em perigo

Gualtieri: 'Li a sentença. Tem grandes inquietações na Europa sobre essa prisão' (reprodução/facebook)

Gualtieri: ‘Li a sentença. Tem grandes inquietações na Europa sobre essa prisão’
(reprodução/facebook)

RBA

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu nesta quinta-feira (26) a visita do deputado do Parlamento Europeu, presidente da Comissão para Assuntos Econômicos e Monetários daquela Casa, o italiano Roberto Gualtieri. “Li todo o processo contra o Lula e fiquei chocado com a ausência de provas. Essa sentença será estudada nas universidades por muitos anos como exemplo de má justiça”, afirmou o parlamentar, ao sair da sede da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula está preso há 111 dias.

Gualtieri disse que ficou emocionado ao se encontrar com o ex-presidente brasileiro. “Lula foi condenado sem provas. Ele tem sido uma referência para todos os democratas do mundo por suas políticas de igualdade social, inclusão, desenvolvimento econômico e igualdade social. Estamos do lado de Lula”, disse. O eurodeputado contou que trouxe algumas cartas para Lula. “Uma delas, uma carta conjunta de deputados do Parlamento Europeu e outra de líderes italianos. Trouxe abraços de ao menos cinco ex-presidentes do Conselho Italiano”, afirmou, citando o ex-primeiro-ministro daquele país Matteo Renzi.

“Expressei a solidariedade humana e política dos progressistas europeus. Lula corre o risco de não ser candidato por causa dessa sentença fraca. Isso é preocupante para a jovem democracia brasileira. É preocupante para a imagem do Brasil no mundo e na Europa. O Brasil tem uma Constituição avançada, e uma coisa como essa é negativa para o país. Digo isso, novamente, porque li a sentença. Tem grandes inquietações na Europa sobre essa prisão. Todos sabem que Lula lidera as pesquisas e vejo um grande dano impedi-lo de concorrer às eleições de outubro”, completou.

Eleições e alianças

Além de Gualtieri, Lula se encontrou na tarde de hoje com a presidenta de seu partido, senadora Gleisi Hoffmann (PR). Ela disse que eles trataram de questões políticas e que ela apresentou a pesquisa CUT Vox Populi de hoje, que o aponta como vencedor do pleito presidencial ainda em primeiro turno. “Os índices de aprovação dele, as intenções de voto, o que as pessoas acham dele. Ele disse que essas coisas o fazem resistir”, afirmou a senadora.

“Ele disse que só aguenta pela esperança do povo brasileiro. Essa é a força dele. Ele disse que talvez não aguentaria essa situação não fosse isso. Estamos com 111 dias de prisão de uma forma dolorosa e injusta para ele e para a família. Ele é a pessoa capaz de tirar o Brasil da crise, de pacificar o país e de retomar o caminho do crescimento”, acrescentou a líder petista.

Gleisi falou sobre as articulações políticas que estão se desenhando neste período de pré-campanha. “Se tivermos a aliança com o PSB, também vamos fechar aliança em Pernambuco. Temos um projeto nacional. O Brasil tem capacidade de crescer, essa é nossa prioridade: disputar a eleição presidencial com o Lula e ganhar. Os palanques vão ser formados e ele estará nos palanques. Não dá para discutir eleições sem Lula, ele tem a preferência popular que só cresce. Ele estará na campanha independentemente da situação dele. No dia 15, vamos registrar Lula e temos esse compromisso. Lula tem muito respeito pelos partidos e vê como importante uma frente da esquerda.”

Deixe o seu comentário